DriveWeb

Calcinhas em Lisboa: apoio online une brasileiras – Mensagem de Lisboa

Mensagem de Lisboa
Receba a nossa newsletter com as hist√≥rias de Lisboa ūüôā

Ao submeter o e-mail concorda com a política de privacidade.
Calcinhas em Lisboa √© o peculiar nome do grupo de apoio virtual, com resultados bem concretos, que desde 2017 est√° a construir uma rede de apoio √†s brasileiras na capital portuguesa. A inten√ß√£o original era a troca de informa√ß√Ķes para a obten√ß√£o de documentos e empregos, mas as dificuldades inerentes √† equa√ß√£o mulher + imigrante ampliaram o raio de servi√ßos oferecidos, como a aten√ß√£o especial √† viol√™ncia dom√©stica, e em tempos de pandemia, a doa√ß√£o de alimentos.
O nome do grupo √© uma refer√™ncia ao facto de, ao contr√°rio do que em Portugal, a pe√ßa √≠ntima do vestu√°rio feminino ser justamente a calcinha (a cueca √© exclusividade dos homens). Devido √† pandemia, as reuni√Ķes de calcinhas acontecem atualmente atrav√©s da p√°gina do Calcinhas em Lisboa no Facebook, com cerca de 11 mil integrantes, embora haja a inten√ß√£o de retomar os eventuais encontros presenciais no futuro.
‚ÄúMuitas mulheres est√£o s√≥s em Lisboa. Ligam para desabafarem. Antes isso acontecia √† mesa de caf√©, o confinamento acentuou a falta.”
A ideia de reunir as “calcinhas” em Lisboa partiu da psic√≥loga Thaysa Ara√ļjo, ap√≥s perceber que os demais grupos de apoio virtual, aberto √† participa√ß√£o masculina e feminina e com medidas de seguran√ßa pouco efetivas ‚Äď ou nenhuma ‚Äď poderiam oferecer riscos √†s brasileiras que se encontravam em situa√ß√£o de fragilidade fora do seu pa√≠s.
Para garantir a privacidade e a seguran√ßa das integrantes, Thaysa estabeleceu regras r√≠gidas de participa√ß√£o, que incluem a proibi√ß√£o de uso do espa√ßo para divulga√ß√£o de mensagens religiosas e pol√≠ticas, punidas com a expuls√£o sum√°ria. ‚ÄúComo sou virginiana, gosto de tudo muito organizado e claro. O Calcinhas sempre teve objetivos espec√≠ficos e √© preciso respeito e foco para que as nossas a√ß√Ķes resultem‚ÄĚ, explica a psic√≥loga de 46 anos, que h√° dez trocou S√£o Paulo por Lisboa.
Os anseios de documentos e trabalho ainda persistem, mas somam-se agora a outros desafios, principalmente ap√≥s a pandemia. ‚ÄúMuitas est√£o s√≥ em Lisboa, sem os seus familiares, e ressentem-se da aus√™ncia de algu√©m, √†s vezes, apenas para desabafarem sobre algo que ocorreu mal no trabalho, com o senhorio ou no relacionamento. Antes, isso acontecia numa mesa de caf√©, mas o confinamento acentuou a falta de contacto e o √ļnico ouvido dispon√≠vel quase sempre √© o nosso‚ÄĚ, conta Thaysa.
No in√≠cio, o Calcinhas funcionava praticamente como os demais grupos na internet ou no WhatsApp, diferenciando-se pelo fato de ser restrito √†s mulheres. ‚ÄúOs interesses, por√©m, eram os mesmos, sobre como se regularizar em Portugal e a divulga√ß√£o de ofertas de emprego‚ÄĚ, explica Thaysa. Havia ainda espa√ßo para amenidades inerentes ao universo feminino, como onde comprar roupas ou verniz para unhas mais barato e os sal√Ķes com as √ļltimas tend√™ncias ‚Äď brasileiras ‚Äď para o corte e colorir as madeixas. 
Apesar da aposta no poder da ‚Äúescuta‚ÄĚ, o Calcinhas n√£o descuida da ajuda material, cientes de que as brasileiras sentiram fortemente o impacto negativo na economia provocado pela pandemia. No final do ano passado, o grupo realizou a√ß√Ķes de arrecada√ß√£o de dinheiro para a compra de cabazes a algumas das integrantes que passavam dificuldades por perderem o emprego, ap√≥s o fechamento de milhares de postos de trabalho no com√©rcio e na restaura√ß√£o.  
Como o grupo abriu o debate aos problemas das mulheres em geral, j√° h√° algumas cuecas (portuguesas) entre as calcinhas (brasileiras).
Receba a nossa newsletter com as hist√≥rias de Lisboa ūüôā

H√° ainda um permanente ‚ÄúBazar do Desapego‚ÄĚ, com a oferta de artigos que n√£o t√™m mais utilidade para umas, mas s√£o de valia a outras, operando com a l√≥gica de economia circular. O bazar tamb√©m √© uma esp√©cie de √≠ndice para medir a frequ√™ncia do insucesso na experi√™ncia imigrat√≥ria. ‚ÄúNos √ļltimos meses, houve um aumento de an√ļncios no bazar, de brasileiras dispostas a voltar para o Brasil‚ÄĚ, atesta Thaysa, sobre a decis√£o que nem sempre √© fruto da op√ß√£o, mas da falta de op√ß√Ķes.
Nos √ļltimos meses, Thaysa come√ßou a prestar aten√ß√£o tamb√©m a outro drama que ronda o universo feminino, independente da nacionalidade: a viol√™ncia dom√©stica. As orienta√ß√Ķes n√£o s√£o no grupo do Facebook, mas uma extens√£o da atividade como psic√≥loga cl√≠nica. ‚ÄúDesde novembro, comecei um trabalho psicol√≥gico volunt√°rio, dedicando duas horas por semana n√£o s√≥ a brasileiras, mas a portuguesas, africanas e mulheres de outros pa√≠ses, sobre como se posicionarem em rela√ß√£o ao assunto.‚ÄĚ
A ligeira altera√ß√£o de rota do grupo para um perfil mais preocupado com a condi√ß√£o feminina, para al√©m da nacionalidade, provocou a curiosidade de algumas portuguesas que, convidadas por amigas brasileiras, aderiram √† rede. ‚ÄúAntes, n√£o fazia sentido √†s portuguesas saberem, por exemplo, como tirar um documento. Mas como abrimos o debate aos problemas das mulheres em geral, j√° h√° algumas cuecas entre as calcinhas‚ÄĚ, conta Thaysa.
Jornalista e escritor brasileiro, 50 anos, h√° sete em Lisboa. Foi rep√≥rter, colunista e editor no Jornal do Commercio, correspondente da Folha de S. Paulo, comentador desportivo no SporTV e na r√°dio CBN, al√©m de escrever para O Corvo e o Di√°rio de Not√≠cias. Cobriu Mundiais, Olimp√≠adas, elei√ß√Ķes, protestos ‚Äď num projeto de ‚Äúmobile journalism‚ÄĚ chamado Rep√≥rtatil ‚Äď e, agora, chegou a vez de cobrir e, principalmente, descobrir Lisboa.

‚úČ alvaro@amensagem.pt
6 Coment√°rios
Muito legal!!!
Boa reportagem! Parabéns pela iniciativa e à Thaysa que idealizou o Grupo. O grupo é mesmo muito necessário e as calcinhas são muito prestativas, solidárias e unidas.
Excelente reportagem!
Este grupo √© um verdadeiro fen√īmeno!! Parab√©ns pela reportagem!
Que maravilha! Parabéns Thaysa pela iniciativa!
Bravo!!
√Č lindo de ver o apoio e a generosidade nesse grupo. Mulheres que est√£o ali para se ajudar, como puderem, seja uma palavra, um ombro amigo. Uma iniciativa que faz toda a diferen√ßa na vida de cada uma de n√≥s. Parab√©ns Thaysa! Orgulho em fazer parte do Calcinhas!
O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *








Rua Garrett, 122
1200-273 Lisboa

source